Campanha de Haddad acusa site do Tocantins de propagar fake news

1009

O site tocantinense Gospel Geral, que tem como foco o público evangélico, foi acusado pela campanha do petista Fernando Haddad de propagar fake news (notícia falsa) sobre sua campanha. “É falsa a informação que circula em alguns blogs e sites de baixa credibilidade de que Lula teria dito que nem Deus e nem a população tirariam dele a vitória de Haddad”, diz.

Reprodução site O Brasil Feliz de Novo (disponível em: https://www.obrasilfelizdenovo.com/lula-discurso-deus-populacao-vitoria-haddad)

O site de Haddad publicou o vídeo em que mostra que as palavras não foram ditas pelo ex-presidente Lula. “A afirmação mentirosa foi vinculada a um discurso de Lula em Porto Alegre, em janeiro deste ano. Nesta época, Lula era o pré-candidato do PT à presidência e, portanto, não faria nenhum sentido que declarasse torcer pela vitória de outra pessoa”.

Conforme a campanha de Haddad, o petista só foi confirmado como candidato do PT no mês de setembro, após a justiça barrar a candidatura de Lula por sua condenação na Lava Jato. “Mesmo iniciando a campanha no meio da corrida eleitoral, Haddad caiu nos braços do povo e chegou ao segundo turno, onde já conquistou 42% das intenções de voto. Haddad busca uma vitória justa e limpa, ao lado de Deus e do povo brasileiro”, disse.

A matéria “Lula diz que “Nem Deus vai me tirar a vitória de Haddad” foi publicada pelo site Gospel Geral no último dia 8 de setembro e tem como fonte o site “Lorotas políticas e verdades”.

Outra acusação de Fake News

De acordo com o site Diário de Pernambuco, o site Gospel Geral espalhou falsa declaração sobre agressão praticada por eleitores de Bolsonaro a servidora pública Paula Pinheiro Ramos Pessoa Guerra. “Tem circulado nas redes sociais uma imagem com suposta declaração da vítima em seu perfil no Facebook mostrando um depoimento em que ela diz não saber se os agressores eram, de fato, eleitores do candidato do PSL. A publicação é falsa e foi publicada como sendo verídica no site Gospel Geral”, disse a reportagem.

A própria Paula Guerra já desmentiu a declaração atribuída a ela. A imagem propagada traz o seguinte texto: “Obrigado pelo o apoio meus amigos, mais de fato eu não sei se esse povo que me agrediu era apoiadores do Bolsonaro, a Folha de São Paulo que afirmou isso, eu não afirmei que era apoiadores do Bolsonaro… (sic)”. Não só o conteúdo é mentiroso como a imagem do suposto perfil de Paula Guerra também é falso.

De acordo com o Diário de Pernambuco, no site Registro.Br, que pertence ao Comitê Gestor da Internet no Brasil, consta que o site Gospel Geral pertence a Rodrigo Santos Tavares e o domínio existe desde 2014. O e-mail de contato do proprietário (informatica@vigilancia-to.com.br) é de um domínio pertencente à Vigilância Sanitária do Tocantins, provavelmente ao setor de informática.

A matéria que sobre o caso de Paula Guerra foi retirada do ar pelo Gospel Geral, mas ainda pode ser vista no cache o Google (https://www.gospelgeral.com.br/2018/10/com-medo-de-perder-milhoes-do-pt-folha-de-sao-paulo-solta-varias-fake-news-contra-bolsonaro)

O Arco Jornal não conseguiu contato com o proprietário do site Gospel Geral. O espaço está aberto para manifestação.

Comentários no Facebook